Na ONU, Bolsonaro deve rebater críticas e falar de queimadas

  |   Brazil News

Apesar da promessa de um discurso "conciliatório", o presidente Jair Bolsonaro deve aproveitar sua fala na abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), na terça-feira, para enviar recados à comunidade internacional. A estreia do brasileiro na organização terá respostas às críticas - na visão do governo, indevidas - feitas à política ambiental de Bolsonaro e à condução do combate às queimadas na Amazônia.

A pressão sobre o Brasil se intensificou em agosto, com a divulgação de dados sobre aumento do desmatamento e das queimadas na Amazônia no ano de 2019, e levou a um embate público entre Bolsonaro e o presidente francês, Emmanuel Macron.

Itamaraty e militares sabem que o momento é de "baixar a poeira" e, portanto, evitar novas polêmicas. Por isso, a linha a ser seguida pelo presidente será a adotada no pronunciamento na TV feito após a intensificação dos protestos internacionais sobre a Amazônia. A previsão é de que Bolsonaro repita que o governo brasileiro não tolera crimes ambientais, defenda a soberania no País, envie recados a Macron e indique que as queimadas na floresta tropical não atraíram a atenção da comunidade internacional em governos anteriores - sugerindo que há má vontade com sua gestão. Ele também deve trazer dados para repetir o argumento de que as queimadas estão na média de anos anteriores.

Leia a matéria completa - http://v.duta.us/0nhhogAA

Foto - http://v.duta.us/BHvw8QAA

📲 Get Brasil News on Whatsapp 💬